Meio Ambiente: Prefeito Gersinho construirá novo Viveiro de Mudas em conjunto à iniciativa privada

Caieiras terá um novo Viveiro de Mudas, com uma estrutura igual à de um grande parque. O Viveiro faz parte de uma carteira de projetos do prefeito Gersinho Romero e do vice Adriano Sopó a serem desenvolvidos em parceria com a iniciativa privada.

De acordo com o prefeito, Parcerias Público-Privadas permitem que Prefeituras como a de Caieiras, com um orçamento limitado, realizem ações muito significativas com melhor custo-benefício. “Quem ganha é, principalmente a população, com obras e serviços de muita qualidade. Além disso, a Prefeitura também consegue economizar e aplicar recursos em outras áreas”.

Sustentabilidade é a palavra de ordem para a construção e funcionamento do local, que será instalado numa área de cerca de 50 mil metros quadrados no Jardim dos Abreus.

O espaço terá duas estufas em que serão cultivadas, araucárias, árvore com um enorme valor simbólico para a cidade e que encontra-se em risco de extinção, em promoção da recuperação ambiental de valor inestimável, entre outras espécies.

A casa, sede administrativa do Viveiro, será totalmente ecológica, com o chamado “telhado verde”, captação de luz solar para geração de energia e cisterna para captação de água das chuvas. Todo o lixo e o esgoto produzidos serão reaproveitados por meio de um sistema de compostagem.

Por se tratar de uma área bastante extensa, o Viveiro contará também com dois bosques interligados a um circuito de arvorismo, um jardim sensorial para que as crianças estimulem todos os seus sentidos, móveis ecologicamente corretos e pista de caminhada acessível.

Os comerciantes terão 20 boxes para vender produtos orgânicos, como frutas, verduras, legumes e pescados de produção local.

Como o Novo Viveiro será construído?

Mais uma vez, o prefeito Gersinho, com sua enorme capacidade de gestão, encontrou uma solução eficaz para que a obra do Novo Viveiro seja feita com menos custos para a Prefeitura. Por tratar-se de uma Parceria Público-Privada, a forma de contratação da empresa responsável pela edificação do Viveiro será a “BTS”, do inglês Built to Suit, em que a Prefeitura só começa a pagar após o término da obra, o que garante economia aos cofres públicos, além da redução de pagamento por meio da permissão de uso oneroso, o que gera recursos ao município.

O mesmo formato foi utilizado para a construção do Novo Pronto Socorro, cuja pedra fundamental foi lançada recentemente e para a modernização do sistema de iluminação pública, que teve seu edital de concorrência pública internacional lançado nessa semana.

Siga-nos também no youtube

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário