Isis Valverde estrela campanha sobre doença celíaca

Para estrelar a campanha, ninguém melhor que a atriz Isis Valverde, que descobriu a doença aos 19 anos de idade.
Para estrelar a campanha, ninguém melhor que a atriz Isis Valverde, que descobriu a doença aos 19 anos de idade.
Para estrelar a campanha, ninguém melhor que a atriz Isis Valverde, que descobriu a doença aos 19 anos de idade.

“Reconhecer”. Este é o mote da campanha lançada pela Fenacelbra – Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil. O objetivo é difundir o conhecimento sobre a celíaca, doença autoimune caracterizada pela intolerância ao glúten, para toda a comunidade científica, área de saúde, gestores públicos e sociedade em geral. Para estrelar a campanha, ninguém melhor que a atriz Isis Valverde, que descobriu a doença aos 19 anos de idade. A Fenacelbra, que foi fundada em 2006, atua como porta voz e dá suporte às associações e grupos de celíacos de todo o país junto a instituições governamentais e privadas. Trata-se de uma organização civil, sem fins econômicos, que prega uma mensagem dirigida àqueles que ainda não sabem e/ou não querem “reconhecer” a doença celíaca. Segundo a presidente da Fenacelbra, Lucélia Costa, a meta da campanha é desmitificar a doença celíaca, enfatizando a importância do diagnóstico precoce, evidenciando que as pessoas celíacas podem viver uma vida normal com uma dieta adequada e segura. “Queremos levar dignidade e qualidade de vida aos que vivem na invisibilidade. Quando se recebe o diagnóstico, ganha-se a capacidade de autogerir a saúde”, assegura. A campanha, que será realizada de maio de 2013 a maio de 2014, terá o tema “Doença Celíaca: se você não reconhecer, nós diremos o que ela é”. O projeto de sensibilização nacional contará com a mobilização das catorze Associações de Celíacos do Brasil, as Acelbras, representadas nas cinco regiões do país. “Ter a Isis Valverde como musa da nossa campanha é motivo de muito orgulho para nós. Ela abriu mão do cachê para nos ajudar a difundir informações sobre a doença”, alegra-se a presidente. Durante todo o período do projeto, haverá um conjunto de ações estratégicas tendo como base a conscientização através de folders, cartazes, faixas e bottons que serão distribuídos em espaços públicos como escolas, unidades de saúde, centros médicos, universidades, supermercados, bares e restaurantes. A Fenacelbra também colaborará com a imprensa, disponibilizando conteúdos relevantes e colocando-se à disposição para entrevistas e reportagens sobre o assunto. “Precisamos do apoio de todos para promover o reconhecimento da doença celíaca e assim, melhorar a qualidade de vida de tantas pessoas”, finaliza Lucélia.

Você “reconhece” a doença celíaca?

A doença celíaca é uma doença autoimune caracterizada pela intolerância permanente ao Glúten (proteína presente no trigo, centeio, aveia, cevada e derivados, como o malte). Esta doença é amplamente conhecida em muitos países, porém, no Brasil ainda há poucos diagnósticos, pela falta de divulgação no campo da saúde, que gera desconhecimento dos sintomas clínicos. Pesquisas científicas apontam a alta prevalência da doença celíaca entre os povos expostos à alimentação que contenha glúten, como é o caso dos brasileiros. Devido à falta de estudos de prevalência com abrangência populacional no Brasil e considerando a etnia do brasileiro, fator de risco importante para a patologia, a aplicação de taxas internacionais torna-se pertinente para mensuração do problema no país. Assim, projetando os percentuais de prevalência sobre 1% da população mundial, teremos um número estimado de 1 milhão de brasileiros com doença celíaca em nosso país, e muitos ainda não sabem. A doença celíaca não possui tratamento clínico medicamentoso específico. A única forma de intervenção é o controle rigoroso da ingestão alimentar, com a exclusão do glúten da dieta. No entanto, esta característica comumente exclui o celíaco do convívio social devido à restrição alimentar.

Números sobre a doença celíaca no Brasil e no mundo

Afeta em torno de 2 milhões de pessoas no Brasil, mas a maioria delas encontra-se sem diagnóstico.

Na Europa a prevalência oscila entre 1:150 e 1:300.

Os estudos amostrais realizados em São Paulo, Ribeirão Preto e Brasília permitem estimar a incidência da doença em 1:214, 1:273 e 1:681, respectivamente. Esta constatação coloca o Brasil ao nível da população europeia, a mais afetada.

A doença celíaca pode aparecer em qualquer fase da vida, e atualmente, estima-se que a cada 400 brasileiros um seja celíaco.

De cada oito pessoas que possuem a doença, apenas uma tem o diagnóstico.

A doença celíaca é cosmopolita e afeta pessoas de todas as classes sociais. No Brasil a miscigenação vem rompendo a barreira etno-racial sendo diagnosticada entre os afrodescendentes e os povos indígenas.

Siga-nos também no youtube

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário